Ontem foi dia de São Valentim

Olá!!!

Adoro corações. Corações de tecido, de papel, de cartolina… Coração vermelho, colorido, de bolinhas ou de florzinhas… Eu gosto de corações artesanais…

Deve ser por gostar de corações que eu ontem (14/02) fique prestando atenção em alguns posts de sites gringos. Na Europa e nos EUA se comemorou “Valentine’s Day” e tinha coração pra todo lado …

Pela primeira vez fui atrás de saber a história do tal São Valentim… Pesquisa rápida, coisa Google mesmo. Gostei de algumas versões que encontrei…

– Valentim teria sido um padre cristão que continuou realizando casamentos apesar das ordens contrárias do Imperador.  O Imperador Romano da época  acreditava que rapazes solteiros eram melhores combatentes. Por continuar celebrando os casamentos Valentim foi preso e condenado à morte. Rebeldia é comigo mesmo!!!!

– Enquanto esteve preso Valentim se apaixonou pela filha de seu carcereiro e antes de morrer lhe enviou um bilhete onde assinava “do seu Valentim”. Seria então o autor do primeiro cartão dos namorados. Adoro amores trágicos!!!!

– O 14 de fevereiro seria a data de sua execução. Durante a Idade Média as comemorações do dia de São Valentim eram bem diferentes do que conhecemos hoje. Naquela época eram comemorações que relembravam antigos rituais de fertilidade (resquícios da cultura romana) e era um momento em que as rígidas condutas morais que começavam a ser impostas pela Igreja Católica eram deixadas de lado. Durante essas festas, as mulheres casadas voltavam a ser livres e podiam flertar com quem quisessem, podendo até cometer adultério contando com a tolerância dos maridos.  Adorei essa parte!!!!!

– Essas festas foram duramente combatidas pela Igreja e foram desaparecendo ao longo do tempo.  Sobraram os cartões românticos e, com o tempo, os presentes caros. História com final sem graça!!!!

Essa história entrou por uma porta e saiu pela outra, quem quiser que conte outra…

Que seja um BOM DIA PARA TODOS!!!

Abraços

Vó Neusa

Anúncios

Costurar para cuidar

Olá!

Quem me conhece sabe que tenho os dois pés atrás com a cultura estadunidense , mas achei essa história tão interessante que resolvi compartilhar com quem passar por aqui.

Trata-se da história de um professor de cerâmica, de uma faculdade de artes da Califórnia que, uma vez por mês vai para a rua com uma velha máquina de costura disposto a fazer consertos de roupas para qualquer pessoa.  Michael Swaine não cobra nada pelos consertos.  Pelo que  pude entender, tanto para o professor como para as pessoas que o procuram, os consertos são apenas uma desculpa para estarem juntos, para conversarem, se conhecerem e trocarem histórias.

Deixo aqui, para vocês, algumas imagens dessa história que achei bem e, também, dicas de onde ler  mais sobre ela. Tenho que admitir que fiquei inquieta, me deu vontade de fazer algo parecido. Ainda vou descobrir como.

Espero que hoje seja um BOM DIA PARA TODOS!!!

Abraços!!!

Vó Neusa

A máquina é das antigas, não tem motor… linda!!!!
Imagino quantas histórias podem ser compartilhadas durante as pedaladas…

… quantos desabafos e confidências não se pode fazer enquanto uma barra de calça vai sendo refeita…

Eu li que muita gente se senta, em cadeiras que ele mesmo disponibiliza e, mesmo não tendo roupas para serem consertadas, fica ali para prosear.

Além de rever as três imagens acima, vocês poderão saber mais sobre esse projeto clicando aqui.

Consertar se torna, nesse caso, sinônimo de cuidar, de acolher.

Viciada em linhas e cores que sou, adorei essa caixinha e o que ela representa: O cuidado com o Outro, a disponibilidade para com o diferente, o desconhecido.

Já essas duas fotos ai de cima são daqui, onde vocês também encontrão mais detalhes sobre o projeto.

“Visto como “artista social”, por alguns e uma curiosidade por outros, Swaine insiste que ele é apenas um “cara que costura”
Esta declaração do artista que encontrei aqui

E, finalmente, um vídeo. Vídeo que estou incluindo aqui de louca que sou, porque não sei inglês e, portanto, não entendo nada do que estão falando. Mas, pelo que li, ele está contando como tudo começou e porque  continua costurando na rua. Acredito que, pelo propósito do artista, não deve estar defendendo guerras né?!?!

A Casa de Amados no Baú da Vó Neusa

Olá!

Quero começar explicando a ideia desse post. Minha vontade de ter um blog está diretamente ligada a um período difícil da minha vida pessoal, em que comecei a ficar muito em casa e encontrei nas visitas aos sites de decoração e artesanato uma ótima forma de me distrair e esquecer os problemas.  Dai a ideia de, aqui no blog, mostrar alguns desses sites que me fizeram e fazem companhia. É uma forma de prestigiar o trabalho da “moçada”, porque só quem tem sabe o trabalho que dá manter um blog. Então volta e meia vamos ter por aqui isso que estou chamando de “Baú da Vó Neusa”. Baú porque a ideia é, ao comentar sobre algum dos blogs que eu visito, selecionar e indicar um assunto tratado em post mais “antigo”. Na verdade “antigo” é jeito de falar, só para dizer que não estarei comentando posts recém publicados. Essa também é uma mania minha, quando começo a gostar de um blog vou sempre dar uma olhada para ver como tudo começou… o que já foi postado.. se houve grandes mudanças.

Tomara que vocês gostem da ideia.

A Casa de Amados

Talvez o que me interesse no blog Casa de Anados seja o fato dele manter um ar artesanal. Os publieditoriais, se existem, não interferem na qualidade dos posts. As dicas e os passo a passo são realmente possíveis de serem realizados até por quem ainda está engatinhando o mundo do faça você mesmo. As casas e os cantos que a Juliana costuma nos mostrar em seu blog são totalmente habitáveis, é possível imaginar gente vivendo neles.

Quem me conhece irá dizer, mas não são “fofos” demais para o seu estilo? Sim claro,  algumas coisas que ela mostra não caberiam nos meus cantos, mas e daí? Viva a liberdade e a diferença.

Outro dia peguei para ler os posts de cabo a rabo, não me lembro de ter encontrado nada que me fizesse pensar “nossa que horror”,  ao contrário.  A Juliana, aos poucos, vai parecendo aquela amiga habilidosa que quase todo mudo tem, ou gostaria de ter… Delicada e sensível.

Como na maioria dos blogs que eu visito, acho que nunca deixei nenhuma mensagem para ela. Aproveito aqui para agradecer a disponibilidade de nos mostrar coisas bacanas com tanta simplicidade e naturalidade.

O post que selecionei pra iniciar essa série irá, provavelmente, despertar maior interesse entre os seguidores mais jovens que tenho por aqui e no meu Facebook pessoal. Muitos foram meus alunos e alguns acabaram se tornando meus amigos. Por que? Porque trata do tema sair de casa e ir morar sozinho. Pode parecer quase uma provocação em relação à cidade onde moro, já que, pelo menos entre as pessoas com quem me relaciono, não é muito comum que moças e rapazes saiam de casa para morar sozinhos. A não ser os que vão estudar em outras cidades, maioria por aqui, me parece, ainda, só sai de casa para casar…  As exceções estão ai para confirmar a regra. Eu mesma vivi na pele a estranheza das pessoas quando minha filha (que hoje está casada e me presenteou com um neto maravilhoso) numa certa época foi morar com uma amiga. Não foram poucas as pessoas que vieram me perguntar se a gente tinha brigado. Pode isso em pleno século XXI?

No post  Saí de casa. E agora, como faz para decorar o cafofo novo? a Juliana comenta rapidamente sobre como foi a sua experiência de sair de casa para morar sozinha…

“quando recebi a notícia de que poderia ter um cantinho para mim, eu saí pulando (não, não é força de expressão, eu saí pulando mesmo). “

… e também dá algumas dicas do tipo “Aprenda a gastar menos do que ganha”, “Saiba/ descubra suas reais necessidades” e “Não tenha medo de colocar a mão na massa”. 

Porque eu escolhi esse texto? Porque eu acho que ele tem muito de artesanal, ele nos inspira a seguir o próprio caminho, a conquistar nossa independência sem precisar enricar antes. Trata-se de um texto simples e, talvez por isso mesmo, inspirador. Mas, atenção amigas e amigos leitores, o fato desse post falar mais diretamente aos jovens não significa que só a moçadinha vá gostar das coisas publicadas no Cada de Amados. Clique aqui para ler o post e depois aproveite para conhecer outros assuntos tratados por lá. 

Bom dia para TODOS!!!

Abraços!!!

Vó Neusa

Por favor, se você gostar desse espaço, me ajude a divulgá-lo. Siga o blog, a fanpage, os álbuns do Pinterest… Compartilhe sempre que puder.