Que bom que existem cores!

Olá!

Tudo bem por ai? Tomara que sim!

Já faz algum tempo que carrego uma das poucas certezas que tenho: o que me melhora como cidadã do mundo é, além de poder cuidar das minhas plantas, estar em contato com manifestações das mais diferentes formas de arte. Os momentos em que essas coisas ocupam a minha vida são os que me tornam uma pessoa melhor, uma mãe melhor, uma vó melhor, uma amiga melhor e o que é melhor: uma cidadã melhor

Sei que é senso comum, mas tenho que dizer, a Internet, com certeza, tem sido uma ferramenta cada vez mais importante nessa busca por conhecer coisa belas, trabalhos interessantes, olhares que me encantam e que fazem brilhar os meus olhos.

Dia desses me deparei com algumas imagens que me fizeram pensar: que bom que alguém se dispôs a registar e mostrar essas cores tão fortes e belas, que bom que, mesmo em meio a tantas dores espalhadas pelo mundo, existe quem seja capaz de ver o belo na simplicidade da vida cotidiana. Me sinto sempre privilégiada por poder apreciar esse tipo de manifestação e, confesso, orgulhosa da minha capacidade de admirar coisas assim, quando sei que muitos não dão a mínima importância para isso e optam por  passar a vida desejando ter coisas que, ao menos para mim, não tem nenhum significado.

Essas imagens eu peguei todas no post Clotheslines {colour me happy},  do blog  Plenty of Colour mantido por um apaixonado por cores e quem se arriscar a um passeio por lá vai poder confirmar essa afirmação.

As fotos que Chloé Douglas posta são realmente encantadoras. Gostei quando, ao descrever sua paixão por cores,  ele  nos lembra que cinza também é cor, diz ele:  “de cinza suave a intenso fúcsia, a cor é a minha paixão e me permite ver as coisas mais comuns, como nada menos que espetacular”.  Verdade totalmente confirmada na imagem abaixo

Chloé Douglas tem o cuidado de informar onde as imagens foram coletadas o que além de justo é bacana porque nos permite realizar outras tantas viagens por fotos incríveis.

Que bom que existem cores!

Espero que vocês tenham gostado. Fico grata por me visitarem aqui.

Desejo que hoje seja um BOM DIA PARA TODO MUNDO DO MUNDO TODO!

Abraços

Neusa, a Vó!

Continuo contando com vocês para me ajudarem a divulgar o blog por ai. Fico muito agradecida.

Anúncios

Pinturas e Platibandas

Olá!

Tudo bem por ai? Tomara que sim!

Umas das boas coisas que esse blog está me proporcionando é a possibilidade de conhecer histórias, artes, trabalhos que eu simplesmente desconhecia. Nas pesquisas para encontrar assuntos para publicar aqui sempre aparece algo que me faz brilhar os olhos. Eu estava mesmo precisando de um estímulo desse. E, confesso, estou me dando bem. Não importa se é algo simples como uma guirlanda de papel, ou um jeito diferente de enfeitar uma mesa para receber os amigos ou ainda, como é o casso desse post,  fotos incríveis que mostram um pouco da riqueza do nosso povo (coisa que muitos insistem em negar e/ou atacar).

Outro dia mostrei aqui lindas fotos de lindas casas de lindos brasileiros espalhados por esse Brasilzão à fora. Essa semana descobri as fotografias de Ana Mariani. As que selecionei para mostrar aqui são de um projeto que já tem quase 30 anos e foram reapresentadas numa exposição em 2010 por ocasião do relançamento do livro Pinturas e Platibandas. Fiquei encantada com as cores e imaginando se essas casas ainda estão de pé. Tomara que sim!

O livro, publicado originalmente em 1987, traz textos de Ariano Suassuna, Caetano Veloso e Jean Baudrillard. As fotografias de Anna Mariani apresentam as fachadas sempre em um ângulo frontal, sem a presença de pessoas e sem a interferência da paisagem. Essas casas, caprichosas e simples, falam também de um modo de vida singelo e consideravelmente autossuficiente. (…)As pinturas à base de cal dessas casas, elaboradas sobre fachadas e platibandas, é resultado da transparência e da luminosidade que só é possível graças às práticas tradicionais de caiação, técnica que aos poucos tem sido substituída por novos materiais e processos sem as mesmas características. (Copiei daqui

Assumo publicamente minha ignorância. Nunca tinha ouvido falar em Platibandas… Alguém ai  já? Para quem também não conhece o termo, aqui vai um vídeo em que a própria fotógrafa explica não só o termo, mas fala também da história das fotos. Um vídeo de baixa resolução, mas o som é ótimo e vale para conhecer o trabalho a partir da fala da própria autora das fotos.

Para quem gosta, mais um vídeo apresentando as fotos. O legal desse vídeo é que ele identifica de onde são as casas.

Fico imaginando que bacana seria refazer esses caminhos em busca dessas casas. Conferir se elas inda estão por lá. Se alguém quiser me patrocinar eu aceito 🙂

Tomara que vocês tenham gostado.

Desejo que seja UM BOM DIA PARA TODO MUNDO DO MUNDO TODO!

Abraços

Neusa, a Vó

ah! 1 Quem gostou, por favor me ajude a divulgar o blog. Compartilhe, comente, espalhe. Ficarei grata!